jusbrasil.com.br
29 de Março de 2020

Empreendedorismo: O Manual do Sucesso

Conheça métodos e ferramentas para se tornar um empreendedor de sucesso

Pablo R, Estudante
Publicado por Pablo R
há 11 meses

O empreendedorismo no brasil vem crescendo ano após ano. Boa parte desse crescimento se deve à tentativa de driblar o desemprego, o que encorajou muitas pessoas a tentar a sorte com o seu próprio negócio.

Pesquisas revelam que 27% das empresas fecham logo no primeiro ano de atividade e 56% não completam o 5º ano de vida. O principal motivo para isso é a Falta de Planejamento. As micro e pequenas empresas são as que mais sofrem, pois normalmente não possuem um Plano de Negócios bem estruturado, não administram o caixa de forma eficiente, além de não poderem contar com crédito bancário.

Apesar dos dados não serem muito animadores, as estatísticas mostram que os novos empreendedores têm se preparado melhor para abrir seu próprio negócio, e quando isso acontece, a chance de sucesso aumenta muito.

O empreendedorismo é o processo de iniciativa de implementar novos negócios ou mudanças em empresas já existentes. É um termo muito usado no âmbito empresarial e muitas vezes está relacionado com a criação de empresas ou produtos novos, normalmente envolvendo inovações e riscos.

Empreendedorismo está muito relacionado com a questão de inovação, na qual há determinado objetivo de se criar algo dentro de um setor ou produzir algo novo. Diversas startups, por exemplo, inovam-se dentro de um setor existente.

Mas afinal, o que significa inovação e como posso fazer isso na minha empresa?

Inovação se refere a criar algo que tenha utilidade, o que pode representar tanto a elaboração de um modelo de negócio e serviços, como também o desenvolvimento de novos produtos e soluções diferenciadas para problemas recorrentes do público-alvo ou da empresa.

No entanto, inovar não significa necessariamente gastar muitos recursos – na verdade, alguns empreendedores inovam até mesmo sem gastar R$ 1. Com o reconhecimento de demandas antigas do mercado e dos clientes, a empresa pode inovar com um atendimento diferenciado ou o apoio à alguma causa social, por exemplo.

A criatividade possibilita que você adquira certa autonomia, que o leva a adotar uma postura empreendedora não só na sua vida profissional, como também na pessoal. Você a utilizará nas situações em que precisa encontrar soluções para determinados problemas. Para aprimorá-la, busque ter ideias que tragam melhorias, pois a chave da criatividade está em ser inovador.

Alguns autores afirmam que o caminho para o sucesso está na capacidade de alocar nossas habilidades criativas para pensar e agir diferente, de forma a ser inovador em todas as situações que nos são apresentadas. Portanto, inovação é o fator principal para se aumentar as chances de atingir o sucesso em todos os aspectos de nossas vidas.

A importância do planejamento para o empreendedor

O planejamento facilita a participação e organização entre os colaboradores, aumentando a compreensão das atividades, metas, valores, missão e visão da empresa. O planejamento ajuda na antecipação de problemas e oportunidades, auxiliando no direcionamento das empresas, de acordo com as oportunidades do mercado em que a empresa está inserida. Quem pensa antecipadamente sobre sua empresa, sai na frente de seus concorrentes para vender mais e melhor.

Quando você fizer o planejamento do seu negócio irá perceber as várias vantagens que existe. Mesmo que seja um plano simples, o fundamental é que exista um planejamento escrito e que todos da sua empresa conheçam e tenham acesso para que esse plano oriente as atividades da sua empresa.

“Se quiser derrubar uma árvore na metade do tempo, passe o dobro do tempo amolando o machado. ” Provérbio Chinês

Essa frase expressa muito bem a importância do planejamento, muitas pessoas acham que é perda de tempo ficar planejando o que fazer na empresa, mas quando aparecem os problemas não sabem como agir e ficam perdidos sem solucionar nada. Planejar é importante sim e deve ser gasto tempo com isso sim, o que não pode é ficar planejando demais e não agir. O planejamento sempre tem o objetivo de fazer as coisas acontecerem da melhor forma possível gastando somente o necessário como também solucionar rapidamente os problemas que forem aparecendo.

Plano de negócio

Um plano de negócios é um documento escrito que orienta a criação de um novo negócio ou uma nova unidade de um negócio já existente. É através dele que você vai mensurar suas ações na abertura do seu negócio.

Planejar-se é um dos passos mais importantes para o empreendedor e pode definir o sucesso de sua empresa ou projeto. Com o plano em mãos, o empreendedor tem a oportunidade de antecipar-se aos possíveis erros e conhecer os pontos fracos e fortes do negócio. Poderá chegar ao mercado com mais segurança e conhecimento.

Análise de mercado

Analisar o mercado é uma das etapas para a elaboração do plano de negócios. Saber quem são os clientes, concorrentes e fornecedores, além de detalhar quais são os produtos ou serviços que vai oferecer.

Identificar o público-alvo de seu empreendimento é fundamental. Parece óbvio, mas é importante lembrar: sem clientes, não há como uma empresa existir.

Buscar informações detalhadas sobre quem é esse cliente, onde ele se encontra, se ele é pessoa física ou jurídica, como ele se comporta e o que ele busca no mercado.

O levantamento dessas informações pode ser feito por meio da elaboração de questionários, entrevistas e conversas com clientes potenciais, ou por análise da concorrência.

As informações coletadas vão traçar um retrato do mercado e indicar se a empresa está indo na direção do que desejam os futuros clientes. Os resultados vão ditar as ações de promoção e marketing para a empresa conquistar o público logo no início da atuação.

O empresário pode buscar empresas especializadas para realizar essa tarefa. Caso não disponha de recursos para contratar institutos estabelecidos, ele pode buscar empresas juniores ou startups em universidades. O custo pode ser mais baixo.

Qualidade e custo-benefício

Após traçar o perfil do público-alvo, é importante pensar no posicionamento do produto. Como ele será visto pelo mercado: por exemplo, um item de qualidade e com bom custo-benefício.

Quanto mais dados específicos sobre o mercado o empreendedor tiver, ele terá conhecimento e subsídios suficientes para desenvolver, por exemplo, um plano de marketing e aplicá-lo em benefício do novo negócio.

Operacional e financeiro

Concluídas as etapas de amadurecimento da ideia do negócio, é hora de saber a melhor maneira para executá-la: entra em cena a elaboração dos planos operacional e financeiro.

O plano operacional descreve como a empresa está estruturada: localização, instalações físicas e equipamentos. O empresário também faz estimativas acerca da capacidade produtiva ou de quantos clientes consegue atender por mês, além de traçar quantos serão os funcionários e as tarefas de cada um.

É importante descobrir se o negócio é financeiramente viável. No plano financeiro, o empreendedor terá noção do quanto deve investir para concretizar a empresa. O documento deve conter, basicamente, as estimativas de custos iniciais, de despesas e receitas, capital de giro e fluxo de caixa e de lucros.

Nos dois planos, é imprescindível apresentar cada item com detalhes, etapa por etapa, para oferecer um panorama inicial de operacionalização do negócio, a fim de evitar desperdícios e otimizar as rotinas.

Planejar o investimento do negócio é parte desse processo, por isso, o plano financeiro também é importante.

Os custos pré-operacionais devem ser projetados, identificando o que será necessário adquirir para que a empresa seja aberta, como aluguel e reforma do espaço e as taxas de registro.

A lista de equipamentos, ferramentas e veículos, elementos dos quais a empresa dependerá para funcionar, entram no grupo dos investimentos fixos.

Nesse momento, deve ser observada a necessidade imediata de cada item ou até mesmo se alguns deles podem ser alugados ou terceirizados.

Além disso, estipular o capital de giro, que é o montante de recursos para garantir o funcionamento normal da empresa, principalmente para as despesas e receitas.

A importância da especialização e do auxilio especializado na tomada de decisões

Esteja preparado para administrar o negócio, a especialização no segmento é importantíssima para o sucesso na caminhada. através dela você será capaz de compreender o negócio, os riscos, e adotar estratégias para alavancar o empreendimento. estando assim preparado para a correta tomada de decisões.

Algo não menos importante é a buscar por profissionais especializados que possam auxiliar nos processos. Especialistas conhecem suas segmentações a fundo e podem criar soluções para qualquer problema. Nunca deixe de buscar por ajuda especializada.

A maioria dos novos empreendedores iniciam suas jornadas sem adequado planejamento, sem conhecimento do segmento, e sem o devido auxilio especializado. e isso pode ser considero um erro fatal.

Planeje o empreendimento, busque viabilidade, faça um plano de negócios, e tome ajuda especializada e terá grande chance de ter sucesso na caminhada.

Conheça agora ferramentas da administração que podem ajudar na toma de decisões.

Ferramentas da administração para administradores de sucesso

Apesar da tarefa de administrar uma empresa ser complexa e implicar muitas responsabilidades, com o decorrer dos anos, profissionais experientes desenvolveram ferramentas, técnicas e estratégias de gestão. Elas têm o objetivo de tornar simplificar a tomada de decisões e todos os processos envolvidos na função de gerenciamento de um negócio.

1. Análise de SWOT

Análise de Swot ou como também é conhecida, FOFA (Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças), é uma das técnicas de administração mais utilizadas da atualidade. Comumente utilizada para explorar os mais diversos aspectos relacionados a um produto ou serviço. Também ajuda a definir os seus diferenciais competitivos diante do mercado e também a encontrar e corrigir todo o tipo de falha que possa vir a ameaçar o negócio a curto, médio ou longo prazo.

A técnica de administração Análise de Swot consiste em encontrar os pontos fortes e fracos da empresa através do simples raciocínio:

Forças – Destacar as características onde a empresa apresente vantagem competitiva, tais como seus pontos fortes sobre os seus concorrentes.

Fraquezas – Destacar todas as características da empresa que apresentem falhas, problemas ou vulnerabilidades que a possam colocar em risco e comprometer seus resultados.

Oportunidades – Explorar qualquer aspecto da empresa se mostre promissor e abra portas para novas oportunidades futuras.

Ameaças – Analisar qualquer tendencia ou comportamento do mercado ou concorrência que possa apresentar riscos para a empresa em um determinado período.

2. Diagrama de Pareto

O Diagrama de Pareto é uma ferramenta de administração muito utilizada para definir prioridades na hora de solucionar problemas dentro de uma empresa. Funciona de forma simples e objetiva, organizando os itens em ordem de ocorrência. Conforme um item (problema) se repete com mais frequência no diagrama, ele se destaca como “prioritário” na lista de problemas que estão afetando o desempenho da empresa e tem prioridade em ser solucionado.

O Diagrama de Pareto também é muito utilizado para apontar os aspectos da empresa que precisam ser fortalecidos e necessitam de mais aplicação de recursos, sejam produtos ou processos internos.

3. Ciclo PDCA

O Ciclo PDCA (Plan, Do, Check e Act) está mais para uma estratégia do que uma ferramenta de gestão, e pode ser definido da seguinte forma:

Planejamento (Plan) – Na primeira etapa, é preciso traçar as metas e objetivos da empresa para que o planejamento seja todo estruturado em cima dos resultados almejados.

Execução (Do) – Na segunda etapa, o planejamento é colocado em prática. Mas todos os dados do processo precisam ser mapeados para que as próximas duas etapas sejam concluídas com perfeição.

Verificação (Check) – Na terceira etapa, os resultados obtidos através do planejamento e execução são analisados minuciosamente. Verificando se houveram diferenças perceptíveis provenientes das duas primeiras etapas do ciclo PDCA ou se houveram desvios na qualidade do produto ou serviço em questão.

Ação (Act) – na etapa final, as medidas corretivas necessárias são tomadas para reparar as causas dos desvios na qualidade ou dos resultados negativos.

Gestão de qualidade

Gestão da Qualidade é uma estratégia das empresas que foca a qualidade máxima em todos os processos, produção e serviços. Ela passa por todas as etapas do negócio, desde a administração, escolha da matéria-prima, seleção de colaboradores qualificados, até métodos de produção com o mínimo desperdício.

Os benefícios são logo percebidos no mercado: maior organização, produtividade e credibilidade perante clientes e fornecedores. Por isso, para ampliar a competitividade da sua empresa, é preciso ser capaz de oferecer produtos e serviços de qualidade, com uso eficiente de recursos, baixo impacto ambiental e satisfação de todos os envolvidos.

A importância da gestão de pessoas nas empresas

É essencial que as empresas se preocupem com seus funcionários, e com toda a infraestrutura que ela oferece ao trabalhador para que ele possa desenvolver bem suas funções. Por este motivo a gestão de pessoas é tão importante, porque as empresas são feitas exclusivamente de pessoas e todo seu sucesso ou fracasso depende delas, é necessário que os trabalhadores trabalhem em prol da empresa, para que se alcancem os objetivos estabelecidos por ela, e do outro lado eles esperam receber um salário justo com sua função e benefícios que os façam trabalhar cada vez melhor.

O conceito de gestão de pessoas é fundamental, pois como o próprio nome diz se trata de pessoas, toda e qualquer empresa seja ela de qualquer especialidade, depende unicamente das pessoas para o seu desenvolvimento e sucesso. Deste modo é necessário que se aja a preocupação com estes funcionários, pois são eles que irão garantir seu total crescimento interno e externo, o funcionário que esta satisfeito com a empresa e com seu trabalho desempenha melhor sua função e dificilmente ficara descontente e insatisfeito.

Ser empreendedor não é um tarefa fácil, é necessário ter visão, capacidade de inovação, criatividade, capacidade de gestão e planejamento. a boa notícias que todos esses requisitos podem ser adquiridos. qualquer pessoa pode se tornar um empreendedor de sucesso desde que busque conhecimento.

Tudo bem mais por onde começar? Crie soluções para problemas, tenha ideias criativas e inovadoras! o candidato pode também pesquisar por ideias de sucesso e implantá-las, criando um produto semelhante. Um exemplo seria criar um aplicativo como o iFood para sua cidade.

Foque na inovação. Que tal criar aplicativos? Tome auxílio adequado para projetar viabilidade para o seu projeto. com a viabilidade em mãos já se pode buscar entusiastas e colaboradores para ajudar abrir o negócio.

Investidor anjo

Não basta ter uma grande ideia para um negócio. É preciso investimento e experiência. Mas quando não se tem nem um e nem outro? O suporte necessário pode ser oferecido por um Investidor Anjo.

O termo surgiu nos Estados Unidos, especificamente na Broadway, para denominar indivíduos que financiavam produções teatrais.

Geralmente o investimento é feito por pessoa física, por meio do aporte de recursos financeiros próprios e/ou assessoria ao empreendedor. Há casos também que o investimento é feito por pessoa jurídica, ou seja, uma outra empresa.

O Investidor Anjo é normalmente um ex-empresário ou executivo que tem experiência acumulada de uma carreira de sucesso e que esteja disposto a investir entre 5% e 10% de seu patrimônio e aplicar essa experiência apoiando a empresa.

O diretor da São Paulo Anjos, empresa que administra esse modelo de capital, Elcio Morelli explica que o investidor anjo não tem vocação religiosa e nem características filantrópicas. “O que os investidores querem é retorno porque investem seus próprios recursos”, conta em vídeo explicativo no site da empresa.

O investimento do Anjo traz retorno não apenas para quem está investindo, mas também beneficia a economia, com a geração de emprego e renda.

O termo "anjo" é utilizado pelo fato de não ser um investidor puramente financeiro que fornece apenas o capital necessário para o negócio, mas por apoiar o empreendedor, aplicando seus conhecimentos, experiência e rede de relacionamento para orientá-lo e aumentar suas chances de sucesso.

Busque conhecimento

Procure livros, palestras, eventos, vídeos, cursos, histórias e relatos de caso. Tudo que pode lhe ajudar a aprender mais sobre o processo, em especial com gente que já viveu isso de perto, vai lhe deixar um pouco mais preparado para o momento que você decidir meter a mão na massa.

Escolha uma ideia e experimente por um tempo

Geralmente, quem está nessa fase tem muitas ideias, mas não coloca nenhuma em prática. Quem está nesse momento costuma ter uma ilusão de que para construir o que se deseja, precisa de muita estrutura, ou investimento, ou seja lá o que for.

Pela minha experiência com startups, 95% dessas ideias não precisam de nada disso, mas o dono, pela falta de prática, precisa se sentir amparado por alguém. Tudo bem, isso é normal! Procure incubadoras, eventos e processos de pré-aceleração para te ajudar.de vista o que você está criando.

Para ser um empreendedor de sucesso o candidato deve ter coragem para empreender, persistência, capacidade de planejar, capacidade de liderança, confiança em si mesmo, paixão pelo trabalho, e solução rápida para problemas. se você tem esses requisitos parabéns você tem perfil de empreendedor.

Agora se você ainda não tem esses requisitos não se preocupe, você pode-rá adquiri-los através da busca pelo conhecimento! se você gostou do artigo compartilhe em sua rede social.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)